fbpx
Glaucoma neovascular

Glaucoma neovascular

Dr. Albert Maximilian assinatura

O glaucoma neovascular é uma doença grave, de prognóstico ruim, que ocorre em consequência da formação de vasos anômalos da íris (rubeosis iridis). Está relacionado à isquemia ou falta de oxigenação intensa, difusa e crônica da retina.

Esses tecidos produzem fatores de crescimento na tentativa de revascularizar as áreas hipóxicas que também se difundem no segmento anterior do olho e desencadeiam a rubeosis iridis e neovascularização no seio camerular.

Essa membrana fibrovascular inicialmente prejudica a drenagem do humor aquoso na presença de seio camerular aberto, mas posteriormente se contrai, produzindo um glaucoma secundário de ângulo fechado, que geralmente é grave e persistente.

As principais doenças associadas ao glaucoma neovascular são:

  • oclusão de veia central da retina (37.3%);
  • retinopatia diabética proliferativa (21.9%);
  • descolamento de retina (7.1%);
  • obstrução carotídea (5.9%).

Tratamento

Investigações sistêmicas e tratamento devem ser prescritos individualmente para cada paciente.

O tratamento definitivo é a panfotocoagulação a laser da retina. Inicialmente, o uso de colírios hipotensores que diminuem a produção de aquoso deve ser prescrito.

A associação entre corticóides e atropina é indispensável para o controle da dor e no pré-operatório de cirurgias para implantes de drenagem, trabeculectomia, ciclofotocoagulação transescleral e ciclocrioterapia.