fbpx
Úlcera de córnea: causas, sintomas e tratamentos

Úlcera de córnea: causas, sintomas e tratamentos

Dra. Adriana Bonfioli assinatura

As úlceras de córnea são alterações corneanas que levam à perda parcial de uma, ou mais camadas da córnea.

Os pacientes geralmente se queixam de dor ocular, sensação de areia, vermelhidão, secreção e, em alguns casos, embaçamento visual.

Causas

As úlceras de córnea podem ser causadas por:

  • infecções;
  • reações imunológicas;
  • baixa sensibilidade da córnea;
  • substâncias químicas;
  • vírus, bactérias (causa mais comum), fungos e outros parasitas: geralmente existe um fator predisponente, que afeta os mecanismos de defesa, permitindo a entrada desses microrganismos.

Fatores de risco para úlceras de córnea

Os fatores de risco mais comuns associados ao aparecimento das úlceras de córnea incluem:

  • uso inadequado de lentes de contato;
  • acidentes oculares, principalmente com material de origem vegetal;
  • uso de colírios sem prescrição médica;
  • uso de substâncias caseiras nos olhos, como arruda, leite, chás, entre outras comuns na cultura popular.

Sinais e sintomas

O paciente com uma úlcera de córnea apresenta:

  • olho vermelho;
  • dor ocular;
  • lacrimejamento;
  • sensação de cisco no olho;
  • fotofobia (aversão à luz);
  • secreção;
  • embaçamento da visão;
  • pálpebras inchadas.

Diagnóstico

O diagnóstico da úlcera de córnea é feito pelo médico oftalmologista, durante uma série de exames feitos em consultório.

Dependendo das características da úlcera, o especialista diagnostica se está lidando com um quadro infeccioso. Alguns sinais observados na lesão podem indicar qual o microrganismo responsável.

Em alguns pacientes, no entanto, é necessário colher material da úlcera para enviar ao laboratório. O objetivo é determinar o agente infeccioso para que o tratamento seja específico.

Complicações

Se não diagnosticadas e tratadas a tempo, as úlceras de córnea podem evoluir para quadros mais graves como:

  • perfuração da córnea;
  • melting corneano;
  • neovascularização corneana;
  • leucoma (cicatriz) com prejuízo para a função visual.

As úlceras de córnea têm cura?

A terapia consiste em tratar a inflamação e restabelecer a integridade da córnea.

Nos casos de úlceras infecciosas, é necessário também eliminar o agente causador. Para isso são utilizados colírios antivirais, antibacterianos, antifúngicos ou antiparasitários. Alguns desses colírios necessitam ser manipulados em farmácias especiais.

Prevenção

Como forma de evitar o aparecimento de úlceras infecciosas, recomenda-se o uso correto das lentes de contato. Ele deve ser feito sempre sob supervisão e acompanhamento de um oftalmologista, seguindo as seguintes recomendações:

  • descartar as lentes sempre no tempo correto;
  • não dormir com as lentes;
  • não compartilhá-las com outras pessoas;
  • manter uma boa higiene no estojo em que elas ficam;
  • utilizar para essa higiene apenas as soluções prescritas pelo médico.

Além disso, é importante evitar o uso de substâncias caseiras nos olhos, assim como colírios sem prescrição médica, principalmente aqueles que contêm corticoide e anestésico na sua formulação.

Ademais, é importante procurar ajuda médica sempre que houver algum acidente ocular, principalmente com substâncias químicas e material de origem vegetal (folhas, galhos, flores, gravetos, etc), e sempre que houver desconforto ocular persistente.