fbpx
Ceratite herpética: o que você precisa saber

Ceratite herpética: o que você precisa saber

Dra. Adriana Bonfioli assinatura

A ceratite herpética ocorre quando há o acometimento da córnea pelo vírus herpes simples, ou pelo vírus da varicela zoster (herpes zoster).

Ambos são muito frequentes na população, o que faz da ceratite herpética um problema ocular comum.

Nesse texto, iremos entender um pouco mais sobre os dois tipos de vírus, o que causam e quais os sinais de que o olho foi afetado.

Vírus Herpes Simples

Existem dois tipos de Herpes simples: HSV-1 e HSV-2. O Herpes simples do tipo 1 causa infecções na porção superior do corpo, principalmente face, lábios e olhos. Por sua vez, o tipo 2 causa o herpes genital.

A infecção pelo vírus da herpes geralmente ocorre durante a infância e passa despercebida. O próprio organismo consegue se defender do vírus, mas não o elimina. Ele passa a habitar os gânglios dos nervos sensitivos que inervam a região onde ocorreu a infecção.

Por isso, sabe-se que a maioria das pessoas é portadora do vírus da herpes, de forma latente, ou seja, assintomática.

Entretanto, os sinais e sintomas da infecção podem se manifestar quando ocorre uma redução da imunidade do organismo, em situações como:

  • doenças que causam imunodeficiência;
  • desnutrição;
  • febre;
  • alterações hormonais;
  • radiação ultravioleta;
  • trauma.

Vírus Varicela-zoster

O vírus da varicela-zoster é o causador da catapora e do herpes zoster (“cobreiro”).

A catapora ocorre principalmente em crianças com menos de 10 anos de idade. Ocorrem febre, dor de cabeça, sintomas respiratórios tipo resfriado, vermelhidão e prurido na pele. Depois, aparecem os sinais característicos desta infecção, os “pontinhos vermelhos” na pele.

Quando a catapora se resolve, o vírus varicela-zoster se aloja nos nervos sensitivos, da mesma forma que o herpes simples, onde permanece pelo resto da vida da pessoa.

Se, em algum momento, o indivíduo apresentar uma baixa na sua imunidade, pode ocorrer a reativação do vírus, que irá se manifestar com o quadro de herpes zoster.

Os sinais e sintomas do “cobreiro” são geralmente muito típicos. O paciente sente, inicialmente:

  • formigamento, pontadas e dor na região inervada pelo nervo acometido;
  • ardor e coceira no local;
  • febre, dor de cabeça e mal estar podem ocorrer.

Logo depois, surgem as lesões de pele típicas do herpes zoster: área delimitada de vermelhidão na pele com vesículas. Essas lesões tendem a secar e formar crostas e a cicatrização ocorre em 2 a 4 semanas.

As áreas do corpo mais afetadas pelo herpes zoster são o tórax e o pescoço, mas este pode acometer, também, a face e a região da lombar.

O risco de acometimento do olho é maior se o herpes zoster ocorre na região do nariz.

Ceratite herpética

A infecção herpética da córnea causa:

  • desconforto leve a moderado;
  • olho vermelho;
  • fotofobia (aversão à luz),
  • lacrimejamento;
  • visão embaçada.

Diagnóstico

O diagnóstico da ceratite herpética é clínico e raramente são necessários exames laboratoriais.

Tratamento

O tratamento da ceratite herpética é feito com antivirais tópicos e as lesões, na maioria dos casos, cicatrizam em até duas semanas.

O uso de antivirais via oral está indicado em pacientes com quadros mais graves, imunodeprimidos e crianças.