fbpx
Miopia em crianças: uma epidemia mundial?

Miopia em crianças: uma epidemia mundial?

Dra. Adriana Bonfioli assinatura

A ocorrência de miopia em crianças tem aumentado em todo o mundo. Nas últimas décadas, pudemos observar uma verdadeira “epidemia” de miopia, especialmente na Ásia (Cingapura, China, Hong Kong e Tailândia).

Os fatores que levam uma criança a desenvolver miopia ainda não foram totalmente esclarecidos, mas ela parece resultar de uma associação de fatores genéticos e ambientais.

Ter pais míopes, por exemplo, aumenta o risco de desenvolver esse tipo de erro refrativo. Outro fator importante parece ser o tempo que a criança passa na frente das telas: TV, computador, tablet ou celular.

A maior frequência de pessoas míopes na população resulta em um aumento do número de complicações relacionadas à miopia, que resultam em um sério risco de perda visual.

Tratamentos para reduzir a progressão de miopia nas crianças

A miopia surge, geralmente, em torno dos 8 anos de idade e progride até a adolescência (em torno de 0,5 dioptria ao ano).

Na última década, foram descritos vários tipos de intervenções com o objetivo de reduzir a progressão da miopia nas crianças:

  • praticar atividades ao ar livre;
  • colírios cicloplégicos;
  • óculos;
  • lentes de contato.

Atividades ao ar livre

Praticar atividades ao ar livre e exposição à luz solar estão relacionados a uma menor incidência de miopia. Entretanto, essa intervenção só tem ação no desenvolvimento do problema. Em crianças míopes, essas atividades não têm efeito na velocidade de progressão do grau.

De qualquer forma, dada a epidemia mundial de obesidade, diabetes e outras doenças crônicas, estimular as crianças a realizar pelo menos 2 horas por dia de atividades ao ar livre é uma intervenção benéfica para a saúde como um todo.

Reduzir o tempo das atividades de perto

Passar muito tempo em atividades que utilizam a visão de perto está associado ao desenvolvimento de miopia.

A Academia Americana de oftalmologia recomenda a regra 20-20-20: para cada 20 minutos de leitura ou de tela, fazer 20 segundos de descanso olhando objetos a 20 pés (6 metros).

Óculos para crianças míopes

1- Óculos com grau menor do que a receita atual

Deixar os óculos da criança ficarem defasados em relação à receita atual, seja de propósito ou não, tem um efeito negativo. Estudos mostram que a progressão é maior nesses casos.

Dessa forma, a criança míope deve ser avaliada para revisão da refração a cada 6 meses e seus óculos devem ser atualizados sempre que o grau mudar.

2- Óculos bifocais e multifocais

O uso de óculos bifocais ou multifocais permanece controverso. A maioria dos autores não recomenda lentes bi ou multifocais para tratamento das crianças míopes.

Lentes de contato na miopia infantil

As lentes de contato podem ser uma opção para crianças míopes que praticam esportes. Entretanto, elas parecem não reduzir a progressão da miopia.

Colírios cicloplégicos

Os colírios cicloplégicos, mais comumente à base de atropina, têm sido, até o momento, a melhor escolha no tratamento das crianças míopes.

Mesmo assim, esse tratamento pode ter alguns efeitos colaterais, incluindo baixa de visão para perto, que pode resultar na necessidade de óculos específicos para a leitura.

Outros efeitos indesejáveis observados são fotofobia (aversão à luz) e alergia.

Enfim…

As principais medidas para prevenir a miopia são atividades físicas diárias ao ar livre, reduzir o tempo de tela da criança e fazer intervalos a cada 20 minutos de leitura.

Para controlar a progressão do grau, o colírio de atropina é o tratamento de escolha.